domingo, 19 de dezembro de 2010

A prova da OAB e os "processos" de Kafka 2.

Se quer "aperfeiçoar" o exercício da Democracia e da Justiça, por que a OAB não faz uma prova quinqüenal para TODOS OS BACHARÉIS (incluídos os que exercem função ou cargo público onde o curso seja requisito), onde aí sim, quem não alcançasse o coeficiente mínimo, teria o registro suspenso, até que alcançasse o nível exigido?

Ora, ainda poderia ser por área, ou seja: Quem fosse bem em cível e péssimo em penal ficaria como registro limitado a ações de natureza relacionada onde manteve seu nível de proeficiência.

2 comentários:

Paulo Victor disse...

Excelente texto... a prova da Ordem se limita a cumprir o papel de reserva de mercado.

Marcelo Bessa Cabral disse...

É uma ideia válida, Douglas. E deve ser estendida a todas as profissões.