quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Os porcos e a hipocrisia!

O verdadeiro motivo do ódio que alguns herdeiros nutrem por esse blogueiro não é o combate que fazemos as imbecilidades que escrevem nas suas folhas de embrulhar peixe podre.

Nem tampouco o fato de sempre termos nos posicionado contra a prática de manipulação e distorcimento da realidade em nome de interesses próprios e de seus sócios de poder.

Tudo isso nunca mereceu o ódio de fato do grupo de comunicação, que em 2007, tentou cooptar esse blogueiro para escrever nas suas páginas, pois pretendia assim aprisionar uma voz que se levantava, e ainda dar um verniz de pluralidade ao seu mofado veículo, como faz agora com alguns incautos que se deixam seduzir por uma "notoriedade" estéril.

O verdadeiro motivo é que esse blogueiro não aceitou tal convite!

Ahhh, e antes que me perguntem qual o teor da resposta, aí vai: Condicionei a aceitação a abertura de espaço para o PT em programa de rádio, pois disse que nada fazia pessoalmente, e sim para o coletivo, e depois, só escreveria sob pseudônimo, sem revelação da identidade e com liberdade para bater no próprio veículo.

É óbvio que fiz propostas que não seriam aceitas, um modo "delicado" de mostrar independência, pois se aceitasse minhas condições, esse blogueiro só teria a ganhar, ainda que tivesse que explicar para seus leitores tal decisão!

Antes da derradeira conversa, em uma reunião na casa de Adilson Sarmet, tornei público o convite e recebi de Roberto Moraes, com o reforço de Luciano D´Ângelo o seguinte conselho: "Não vá, pois você agrega mais a ele, que ele a você, portanto..."

A conversa derradeira foi testemunhada pelo Prof. Fábio Siqueira, no Club, na Pelinca.

Quem "intermediou" o primeiro contato foi a queridíssima Aucilene Freitas.

Leiam o texto do e-mail, onde a admiração e puxação de saco estavam explícitas. Lembremos que na época, o blogueiro enfrentava vários problemas de comportamento, que ao que parece, não incomodavam tanto assim.

Agora, limpo há mais de um ano, parece que o blogueiro incomoda mais. O que será que mudou: A opinião do filho do dono sobre possíveis excessos, ou seu interesse em desmoralizar quem não lhe curva a coluna?

Porque, na opinião de médicos, colegas de trabalho, advogados e superiores, o blogueiro, hoje, se encontra no melhor de seus dias.
Mas uma característica o blogueiro não perdeu: a coragem de enfrentar tudo e todos em nome do que acredita, justamente a característica que hoje incomoda tanto, mas que o herdeiro desejou comprar antes!

Em alguns meios, essa coragem é chamada de "loucura" ou mau caratismo. Que ótimo, prefiro assim, pois vindo de quem vem, soa até como elogio, dada a falta de estatura moral, conhecida e reconhecida, para fazer qualquer tipo de julgamento, nem de si, quiçá dos outros!

Mas leiam  vocês, e tirem suas conclusões. E vai um aviso, e pedido de desculpas: Chega desse papo chato:


Aluysio

 para mim
mostrar detalhes 07/01/09

Caro Douglas,
Cá que ninguém nos ouça, também acho vc muito inteligente...
Abraço!
Aluysio
P.S. As opiniões acerca da NBA são um destaque, sobretudo as com referencial dos anos 80, do Lakers, do Celtics e do Bulls

2 comentários:

Anônimo disse...

Um de seus problemas é que você se acha mais importante e o seu blog mais influente do que realmente são. Pense nisso.

douglas da mata disse...

Caro comentarista, vamos "pensar nisso":

Esse é um problema da humanidade. Saber qual a sua exata importância e de seus atos na vida que o cerca, e para a História.

Ao menos para aqueles que sabem fazer alguma diferença.

Veja, pessoalmente, nunca me imaginei mais "importante", "influente", ou que esse blog tenha mais relevância do que tem.

Sei dos limites da ação de qualquer meio, e não compartilho a opinião com aqueles que acham que a mídia, qualquer que ela seja, é determinante em todos os aspectos da vida social.

Ela é UM dos fatores, mas não o único, nem, como diss, o mais importante.

Mas a reação dos meus adversários e de meus "inimigos", ao longo dessa jornada, podem me dar essa ilusão: de que sou realmente mais influente e importante do sou na realidade.

Ainda assim, não me deixo levar por essa falsa impressão.

Agora, ninguém se propõe a fazer o que faço, do jeito que faço, com "bons modos".

É uma questão de escolha e estilo, que você pode aceitar ou não, mas cumpre um importante papel para essa cidade e a Democracia.

Veja que todos os meus "defeitos", apontados por meus detratores, foram os mesmos que eles tentaram "aprisionar" esses "defeitos-qualidades".

Ou por outro lado, toda essa "arrogância e descontrole" era aplaudida e festejada quando dirigida aos outros. Quando o foco recaiu sobre eles, aí sim, a chiadeira.

Esse também é um traço humano.

Mas vamos com nosso aprendizado, e obrigado por possibilitar essa reflexão com sua participação.

Abraço.