terça-feira, 5 de outubro de 2010

A inveja é uma merda 2!

Você teria inveja de um cara, que no dia de seu casamento, virou motivo de piada na blogosfera, após ter um post publicado em um blog local com os seguintes dizeres:

Conselho de morgana!

Dizem que o filho de um importante jornal da cidade mais indecente do mundo, vai casar nesse dia 26.

Vai aqui um toque de amiga a noiva:

Minha filha, não case de branco, pois senão ele vai querer te cheirar primeiro, e depois, nada!

9 comentários:

Um pouco de ética disse...

Cara, vc tá chamando a mãe deste tal de Gustavo de puta,(no titulo "filho da puta literalmente falando"), ele de maconheiro, bêbado, chato, brocha e corno.

Ainda posta um tipo de B.O. Você não acha que está invadindo demais a privacidade deste sujeito?

Cuidado! Se eu fosse este cara, te meteria um belo processo, arrancaria até as suas calças, pra quem sabe assim, vc aprenda a respeitar os limites dos outros e acima de tudo, aprender a ter seus proprios limites.

Não é pq eu brigo com uma pessoa, é que vou ter que sair revelando todos os segredos compartilhados com este ex-amigo.

Já ouviu falar em ética?

Aposto que vc não é nenhum santo, e ele até agora não revelou seus podres pra ninguém. Isso sim, é atitude de homem.

Lamentável a sua postura! Lamentável!

douglas da mata disse...

Caro ético,

vou repetir a lição que dei ao gugu, e a outros:

só há duas maneiras de fazer e receber criticas, no meu raso entender,

ou vc é um ilibado, moral inatacável, exemplo de conduta privada condizente com seu ethos político, ou vc faz como eu: não há podre que meu que não conheçam, e se os há, nada temerei em debatê-los ao vivo.

mas essa é uma esolha minha, vc dirá, tudo bem, mas aos meus interlocutores sabem exatamente disso, e das conseqüências dessa nossa interlocução, digamos assim.

se assumiram os riscos, paciência

outra coisa: só pode arrnacar as calças de quem tem, e como não tenho patrimônio algum, é só concluir que...

para entrar no campo criminal, teremos que apurar se o que eu digo é verdade ou não, e se o que publiquei pode ofender de fato, o que responderei em juízo(já adiantando a tese jurídica para seu aprendizado):

"Ora excelência se o autor da ação tivesse zelo por sua "imagem" não fumaria maconha em via pública, em desacordo com a Lei e os costumes".

O que ele fez não é segredo, pois o acesso aoo registros é pública, fato inclusive que possibilita pesquisadores como ele sondar a sociedade, rs(está aí outro aprendizado para vc).

agora, de verdade, invadir a privacidade seria divulgar o nome da amante casada dele, que ele, aliás, como todo machista que se preza(como eu aliás), não teve o cuidado de preservar, porque o bom de comer é contar, não é?

mas aí entra outro debate sobre público e privado:
ora se o casamento é um instituto de direito privado, mas submetido a regras públicas (lei, partilha, filhos, sucessão, etc), o debate sobre a quebra desse contrato e a lesão de direitos do terceiro(nesse caso o corno da amante dele), não seria um serviço público ao debate?

pode ser, pode não ser. quando eu resolver, eu verei se revelo ou não.

um abraço, e obrigado pelo aviso.

Um pouco de ética disse...

Você vai ter que provar tudo isso...

E isso não é um aviso.

douglas da mata disse...

estou à espera, ansioso.

comecemos pelo sigilo telefônico dele e da moça, que como meio de prova para o adultério, eu posso requerer em juízo.

uma das vantagens de estar no pólo passivo é contar com todos, digo, TODOS os meios possíveis e permitidos em Lei para provar, caso contrário, com o cerceamento da ampla defesa, tranca-se a ação em sede de mandado de segurança.

quanto ao registro, está lá e te dou uma cópia: 134-01618/2004.

tem o procedimento no Jecrim, idem, que eu vou procurar o número e te informo depois.

um abraço, e continue por aqui.

douglas da mata disse...

ah, e já que insiste, eu vou publicar um longo texto sobre o assunto, e até com o arrolamento das testemunhas, que como vc sabe, não podem mentir sobre o que sabem, sob pena de responder por isso.

vai ser legal ver os amigos testemunhando nesse caso.

veremos até onde a coesão se mantém.

um abraço.

douglas da mata disse...

ah, e já ia esquecendo, como não existe relação a três sem um corno,

acho que ele vai, primeiro, me agradecer, e depois, vai ter interesse em provar o caso, pois assim poderá também pleitear junto a moça e o ricardão-gugu uma indenização por danos morais na quebra desse contrato tão especial que é o casamento.

vai ser legal, não acha? um processo do tipo Fim do Mundo...

Um pouco de ética disse...

Vai esperando mesmo...

Também vou repetir: Isso não é um aviso!

douglas da mata disse...

ui, que mêêêda, um pouco de ética anônima, mas o que é isso?

ética da covardia, rs...

tô esperando e contrateum bom, bom não, um ótimo advogado.vai precisar.

douglas da mata disse...

ah, e mais um detalhe, se o propósito era me fazer publicar o nome da moça, desista.

pensei melhor, e como as citações não a identificam, e todas as mençoes que fiz foi diretamente com o interessado, vai ficar difícil provar o dano.

quanto ao BO, já disse, está lá, e não foi uma ocorrência onde ele estava em seu âmbito privado, logo, quem não cuida de si e de sua imagem, não merece o direito.

um abraço.

e para você, já chega, a não ser que passe a assinar, aí tudo bem.