terça-feira, 5 de outubro de 2010

Cai a última máscara da joana d'arc da floresta!

Instada a se posicionar sobre as duas candidaturas de um segundo turno produzido por mídia, boato e neoudenismo, que teve nela seu maior instrumento, a candidata verde amarelou. Essa mulher que se orgulha de ter enfrentado seu própio destino, vencido todas as dificuldades, e que se dizia preparada para substituir o maior estadista ocidental dos últimos tempo declarou que "a sociedade, o partido" decidiram em um assembléia, ou uma plenária para que ela tome um rumo. Fez questão de dizer que não só os militantes da sua "coalisão", mas todos serão bem-vindos para decidir.

Mas como assim? Quer dizer que se a TFP, ou a UDR, ou ainda o jorge bonhausen, ou alguma ONG ligada arthur virgílio quiser participar desse colnvescote assembleísta, terão o mesmo peso dos militantes-verdes? E o que dizer do movimento neonazista do ABC paulista? Vão poder entrar? Afinal esses "meninos" são todos nacionalistas, detestam o PT, são contra casamento gay, aborto, como nos e-mails enviados pelos trolls serristas. Ou será exigida "carteirinha ideológica verde militante certificada" na entrada?

Bom, para encerrar esse enfadonho debate no qual me meti nesses últimos dias, em parte pela frustração de ver esse país dar um passo de caranguejo, em parte para dar a merecida resposta aos que nivelaram a luta política ao pior nível nesses últimos tempos, para que provassem um pouco do próprio veneno, vou tecer algumas considerações acerca desse "grandioso evento", onde a "onda galinha-verde" ajudará a "decidir o futuro do país:

marina é uma fraude, em todos os sentidos e por onde quer que se olhe. Qualquer analista mequetrefe, desses que o PIG adora exibir para "ampliar e legitimar" seus interesses, é capaz de dizer que a marina não terá muita acensão sobre esses 20 milhões de votos, até porque, os fatores que levaram-na a tal desempenho tem muito pouco a ver com sua biografia, ou suas propostas para o país.
Teremos uma parte considerável que anulará o voto, uma pequena parte que votará em Dilma, e outra, bem maior, que votará em serra. Aqui o eixo da questão: A transferência maior dos votos de marina para serra, a ser confirmada, ratificará o perfil conservador do eleitorado que tentou (e conseguiu)provocar um segundo turno, na tentativa desesperada de encerrar o ciclo petista de governo.
Logo, pouco importa o que dirá ou fará a marina, pois seu papel é só de enfeite. Ela é uma "cereja orgânica" de um bolo de merda!

Por mais que digam que votaram para dizer não ao modelo vigente, e não ao modelo demotucanalha, é justamente no colo desse retrocesso que apontavam desde o início.

Não há nada que nos faça supor que os arranjos regionais do PV, atados e conectados visceralmente com a direita mais retrógada e demotucanalha, embora digam que são "a modernidade democrata", vá permitir que marina faça a escolha pela candidatura do governo que, REPETIMOS, integrou e onde construiu seu handcap político como ministra, e que por isso mesmo, era execrada e escorraçada pela mídia, e por alguns de seus mais devotos fiéis de hoje, em blogs e nessa mesma mídia.

O que chama a atenção, volto a mencionar, é sua incapacidade de enfrentar qualquer tema polêmico, decidir e agir politicamente, crítica aliás que não é nova: O PIG, míriam leitão, mervais, etc, etc, cansaram de repetir ad nauseam que esse imobilismo marinista era o que "travava" as licenças ambientais para projetos de desenvolvimento e infraestrutura, fato esse aliás, dentre outros, que aumentou a pressão sobre a pasta que ocupava, e que tornou inviável sua permanência.

Imobilismo e incapacidade de dialogar com as forças produtivas da sociedade. Por isso ela teria caído do ministério, de acordo com o PIG. Justamente esse imobilismo e incapacidade que agora festejam. Salto triplo carpado analítico, com contorcionismo ideológico para embarcarem na primeira fila da "onda verde".

Dá para entender?


Bom, para encerrar, duas questões:

1. Em minha pequena e rasa vida política, eu aprendi com Leonel Brizola, a quem admirava, embora não concordasse com todos seus atos, que se houvesse alguma dúvida de espectro ideológico para definir uma escolha política, ou sobre um aliado, bastava olhar para as organizações globo. O lado que estivesse, com certeza, não era o lado bom da história. É mais ou menos como reduzir a questão marina. É só olhar quem a inflou, e saberemos o que tem por dentro.

2. Me acusaram aqui, de não debater idéias, de ser unilateral, etc, etc. Isso aqui é um blog de opinião com viés partidário bem claro, o que esperavam? Ainda assim, todos esses dias, analisamos fatos consumados: marina empurrou serra para o segundo turno. Isso é fato, gostem ou não seus fiéis devotos da santa joana d'arc da floresta. Quem votou em marina, votou em serra. Agora, podemos e devemos debater idéias e propostas de governo e temas polêmicos para a sociedade. Está aberto o espaço para os marina-boys and girls colocarem alguns pontos do "programa" verde, para a discussão. Que tal começarem sobre a questão do câmbio, do déficit de contas correntes externas, e o problema do juro na perspectiva da inibição do setor industrial brasileiro. Como? Não têm? Não sabem do que falo. Ah, sim, desculpem, vamos então olhar o catálogo da natura.

Nenhum comentário: