quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Uma pena!

Se não fosse a própria expressão do garotismo de sinal trocado, aquele garotismo "cordial", na acepção buarquinana da palavra, um garotismo do coração, se não tivesse usado mais de um milhão e quinhentos mil motivos para convencer uma escola de samba a lhe dar minutos de fantasia como destaque, se, enfim, não fosse quem é, poderíamos dizer que a ex-última dama tem estofo para exercer a vereança.

Discursos bem embasados, com alguma noção geral sobre os temas que aborda e relevância no que aponta como falha.

Muitíssimo melhor que as "indicações e prosopopéía da vereadora que faz a rima".

Uma pena que nesse caso, Peggy Sue, teu passado te condena!

Um comentário:

Pedro (D)KabraL disse...

Voce está cada vez mais terrível.
Abraços