sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Sociedade dividida!

De certa forma, o STF reflete o momento em que passamos.
De um lado, a demanda por um dispositivo normativo que "enquadre" o processo político.
De outro, a constitucionalidade agredida, na medida que a supressão ou alteração de direitos, nesse caso, um direito a cidadania vinculado a prórpia questão da nacionalidade: o direito político de ser votado, apenas deveria ser proclamada no trânsito em julgado.

Fica a impressão que nos debatemos com os galhos do problema, enquanto as raízes permanecem intactas.

Só uma ampla reforma do sistema político representativo, atacando a questão do financiamento, a regulamentação dos lobbies, os limites da ação do capital sobre o poder político, relação da mídia com as verbas públicas, etc, etc, poderão apontar no sentido de um modelo que aproxime mais a vontade popular do resultado das eleições, sem a mediação dos milhões e milhões de reais empregados nas campanhas eleitorais.

Nenhum comentário: