terça-feira, 28 de setembro de 2010

Salve os Mutantes!

Rita Lee foi uma decepção nesse verão em Atafona, mas não dá para esquecer a riqueza criativa de Sérgio Dias e os Mutantes, onde cantava aquela magrinha-gringa. Destaco dois versos fundamentais que grifei aí embaixo: "(...)minha dor é cicatriz/minha morte não me quis(...)"

2001 Mutantes
Astronauta libertado
Minha vida me ultrapassa
Em qualquer rota que eu faça
Dei um grito no escuro
Sou parceiro do futuro
Na reluzente galáxia

Eu quase posso falar
A minha vida é que grita
Emprenha se reproduz
Na velocidade da luz
A cor do sol me compõe
O mar azul me dissolve
A equação me propõe
Computador me resolve

Astronauta... (refrão)

Amei a velocidade
Casei com 7 planetas
Por filho, cor e espaço
Não me tenho nem me faço
A rota do ano-luz
Calculo dentro do passo
Minha dor é cicatriz
Minha morte não me quis(grifo nosso)

Nos braços de 2.000 anos
Eu nasci sem ter idade
Sou casado sou solteiro
Sou baiano e estrangeiro
Meu sangue é de gasolina
Correndo não tenho mágoa
Meu peito é de sal de fruta
Fervendo num copo d'água

Astronauta... (refrão)


http://www.vagalume.com.br/os-mutantes/2001.html#ixzz10rQF0Zws

Nenhum comentário: