quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Nanicos!

Não se trata de desqualificar a ação política parlamentar, mas somente fazer uma constatação:

Essa legislatura não produziu nada relevante para essa cidade, não fiscalizou, não legislou e apenas se dedicou a polêmicas que envolvem as disputas menores da Casa!

Enfim, a vereança virou um fim em si mesma, e não um instrumento de promoção do bem estar coletivo, como previa Montesquieu, quando repartiu os poderes!

Dois anos discutindo o próprio umbigo, que convenhamos, cheira mal!

É claro que não dá para contabilizar todos os problemas da cidade e da nossa triste conjuntura, aos parlamentares municipais, mas se considerarmos que a eles cabem a tarefa de funcionar como um "freio" ou "contrapeso" ao Poder Executivo, veremos que o caos institucional que vivemos poderia ser menor se houvesse um mínimo de competência naqueles que foram eleitos pela população para representá-la!

Se considerarmos que a Câmara Muicipal passou a ser um dos eixos centrais do debate político com a anulação do mandato da prefeita, veremos mais:
Que nossos vereadores não estão à altura do desafio que têm pela frente. Todos, sem distinção, parecem diminutos perante a necessidade que nossa cidade tem de mudança!

"Pintores de rodapé da História!"

Virão novas eleições suplementares, e outras, e mais outras eleições, e ao que parece, teremos sempre mais do mesmo: Uma relação de vítima-cúmplice entre eleitores e eleitos!

E a planície? Um pântano!

Um comentário:

Antônio Olegário disse...

Quem os elege também tem certa parcela de culpa.... ou responsabilidade, ou não?
Quem anda pela cidade vê que o caos é geral. Não enumeremos para não sermos repetitivos. Mas o fato é que os mandatários são reflexo daqueles que os eleges.
As vezes fico a pensar que, para maioria, está tudo irretocável...
abraços