domingo, 5 de setembro de 2010

Impressões do Arraial!

Antes, vamos ao óbvio:

As praias do Arraial do Cabo são maravilhosas, e não há palavras definidas para descrevê-las. Para quem não conhece, não deixe de fazer o passeio barco, que sai a um custo médio de 25 por pessoa, com água e refrigerante incluídos. Com a rigorosa fiscalização da Capitania do Portos, a segurança é garantida, e as tripulações detêm bastante informações sobre os locais. Cada praia, a embarcação fica cerca de 40 minutos. É uma bela experiência.

Bom, como nem tudo é sonho e beleza, vamos às nossas ranzinices:

1. Praia grande: Quiosques que me lembraram aquele aspecto desolador de Mineiros em Grussaí, com barracas insalubres, e mesas ocupando a faixa de areia. Barulho dos alto-falantes, insuportável. No caso específico dessa praia isso não chega a ser um problema em função da sua extensão que liga Arraial a Cabo Frio. A fiscalização de posturas inexiste. Cães na areia. Um caos frente a uma beleza de tirar o fôlego. Paradoxo é isso aí!

2. Praia do Forno: A falta de lixeiras provoca o resultado de sempre: lixo na vegetação nativa. Armadilha para pegar turista: Os quiosques cobram consumação sem aviso prévio. A taxa varia entre módicos 30 e 60 reais, e é fixada de acordo com sua cara de bobo. Nosso mestre de embarcação avisou, e preferimos os ambulantes com quitutes.

3. Pontal do Atalaia: Nota dez. Um paraíso, o problema é o acesso, que é em si uma aventura!

4. Os preços, comércio e estrutura: A coleta de lixo em Arraial é sofrível, o que torna os resíduos uma paisagem freqüente nas ruas. Nesse feriado não havia, por estranho que pareça, muita gente, mas mesmo assim ficou a impressão de que a infraestrutura não agüenta o tranco. Os preços estão entre a extorsão de Búzios e o aceitável, é preciso procurar. A oferta de pousadas e hotéis é enorme e tem para todos os bolsos.

Mas o saldo é positivo, e pela proximidade com nossa região, é uma ótima opção para quem não dispõe de recursos para viagens mais longas como o litoral nordestino.

Hoje é dia de pegar a estrada e esticar até Cabo Frio. Êita mundão largo sem porteira!!! Inté mais vê!!!

Um comentário:

Anônimo disse...

É o que mantém Pontal do Atalaia paradisíaco: o difícil acesso!!!
Se for a Búzios e ainda não conhece, vá a José Gonçalves! Outro paraíso, também pelo difícil acesso.
Beijos.
Norma