terça-feira, 28 de setembro de 2010

É Dilma no 1º turno!

Carta aberta à militância do PT
Por José Eduardo Dutra
Companheiras e companheiros,

Chegamos à reta final de um processo eleitoral histórico, que fará de Dilma Rousseff a primeira mulher presidente do Brasil.

Com Dilma, no próximo domingo teremos a oportunidade de eleger o terceiro governo popular e democrático do Brasil.

É o momento de confirmar a opção pela mudança, que a sociedade brasileira fez ao eleger o presidente Lula pela primeira vez, em 2002.

É o momento de garantir as conquistas acumuladas nos últimos oito anos; e de avançar ainda mais na construção de um país melhor, mais desenvolvido e socialmente mais justo.

A candidatura da companheira Dilma Rousseff é a certeza de que esse projeto vai prosseguir nos próximos anos.

Ela foi construída sobre uma sólida base de apoio social ao governo do presidente Lula.

Em torno dela formou-se um amplo arco de alianças, agregando todas as forças políticas que nos ajudaram a construir o projeto de desenvolvimento com distribuição de renda e ampla inclusão social.

Dilma Rousseff representa o Brasil que se transforma, que é amado por seu povo e respeitado em todo o mundo.

Ao longo dessa campanha, Dilma defendeu este projeto nos comícios, nas ruas, nos debates, nos programas de rádio e tevê.

De nossos adversários, que não têm proposta, não têm discurso, não têm representatividade, tudo o que ouvimos foi uma campanha de mentiras, falsidade e golpes baixos.

Vamos vencê-los no voto, mais uma vez.

Vamos dar a eles mais uma lição de democracia.

Vamos confirmar nas urnas o que já se sente nas ruas, nas fábricas, nas escolas, na internet: é Dilma vitoriosa no primeiro turno das eleições.

É nessa hora, nesses últimos dias de campanha, que a militância do PT vai fazer a diferença mais uma vez.

Eu me dirijo a vocês, como presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, para convocar a militância mais aguerrida do Brasil.

Você, que tem uma estrela vermelha no peito, pegue sua bandeira, reúna os companheiros, vá para as ruas defender nossa candidata, a candidata do PT e do presidente Lula.

Distribua nossas mensagens pela rede, acione o tweeter, siga nossos blogs, combata as mentiras e os boatos que os adversários espalham.

Vamos mostrar a eles que temos o melhor projeto, a melhor candidata, a melhor aliança.

E vamos mostrar, mais uma vez, que temos algo que nenhum outro partido tem: a militância mais apaixonada desse país.

É a nossa militância que vai fazer a diferença na reta final. Vamos pras ruas, vamos para decidir. Vamos fazer História mais uma vez.

Vamos com garra e determinação, com amor pelo Brasil, com a força do PT.

Vamos para a vitória no dia 3 de outubro!

http://www.pt.org.br/portalpt/noticias/eleicoes-2010-11/presidente-do-pt-convoca-militancia-para-garantir-vitoria-de-dilma-no-domingo-22681.html

10 comentários:

Anônimo disse...

É Dilma no primeiro turno e muitas "Erenices" sendo nomeadas em seguida.

Aliás, agora ficou mais claro porque a Dilma declarou ter R$ 113.000 (cento e treze mil reais!!) em casa.

Isso é artifício contábil muito utilizado para quem obtém patrimônio de forma irregular, inclusive com dinheiro "por fora".

Acorda povo brasileirro! Estão pegando o seu dinehiro na sua cara e você não vai fazer nada?!!!

Publica essa blogueiro, que eu quero ver!

Comente essa, se for capaz!

douglas da mata disse...

Olha o troll aí.

Ele parace interado no assunto de "dinheiro por fora".

São uns idiotas: se ela declara, reclamam, se não declaram, reclamam também.

Será que o "gênio" da contabilidade explicaria como esse artifício funciona, e poderia provar o que diz, ou seja: se existe dinheiro irregular e como foi obtido? É claro que não.

Vai falar das "denúncias", do "público e notório"(produzido pelo isentíssimo PIG), do "mar de lama", etc, etc, etc.

Só publiquei esse lixo para me divertir com esse tipo de gente.

Dá licença que eu vou sair para gastar o dinheiro que a Dilma botou na minha conta.

Anônimo disse...

Geralmente os que declaram que tem dinheiro em casa pretendem justificar dinheiro por fora no futuro (ou aquisições futuras de patrimônio).

Na verdade o dinheiro em casa não existe, não está na conta corrente bancária.
Na verdade é um dinheiro que já foi gasto, mas que se declara que ele existe, permitindo que um dinheiro por fora seja recebido e "esquentado" como se fosse o que o declarante informou estar em casa, em espécie.

Exemplo hipotético:

- Declara que tem 100.000, mas que já foi gasto, não existe de verdade;

- futuramente se recebe 80.000 por fora e o deposita numa conta corrente (como se fossem parte dos 100.000 declarados); ou compra-se um imóvel dizendo que foi com parte do tal dinheiro declarado em espécie.

douglas da mata disse...

O imbecil só esquece um detalhe, aliás, primordial:

declarar oriegm, significa ter que comprovar a origem, uma vez que se houver qualquer investigação, serão cruzados os dados dos rendimentos e a posse do numerário, que têm que ser coerentes.

Esse tipo de idiota ouve o galo cantar, e não sabe aonde.

Se quiser alguma publicação sobre lavagem de dinheiro, eu indico, pois possuo farta, em virtude de minha profissão.

Logo, vá contar esse tipo de mentira lá na casa do caralho!

Anônimo disse...

Vc não entendeu.

Quando se declara no início do ano que se tem um valor em dinheiro, foi um valor que teve origem. Ocorre que ele foi gasto, não existe mais, mas a pessoa declara que tem em espécie (porque não está mais no banco).

Exemplificando:

A pessoa recebe no ano de 2009 $100.000,00; e gasta esse dinheiro neste mesmo ano. Mas no final deste ano declara que ainda os possui. Como o dinheiro não está no banco nem em lugar algum que possa ser comprovado, ela declara que ainda o possui em espécie.

No decorrer do ano seguinte (2010), a pessoa recebe , digamos 80.000,00 por fora, deposita-os num banco ou compra um imóvel neste valor e informa que a origem são os tais $100.000 que haviam sido declarados no início do ano em espécie.

Ou seja, esquenta os 80.000 que recebera por fora (numa conta bancária ou como um imóvel), dizendo que são parte dos tais 100.000 que havia declarado em espécie.

douglas da mata disse...

Idiota, quem não entendeu(ou não quer)foi você:

Ora se declaro que ganhei, e nessa mesma declaração deve constar minhas despesas, como justificar que tenha origem do dinheiro e nunca tenha uma saída?

As declarações de renda também trazem os pagamentos, e toda sorte de transferência, onerosa ou não dos valoers durante o exercício fiscal.

Ou o declarante vai conseguir convencer que ganhou e não teve nenhuma despesa?


Outra pergunta, seu imbecil:

Uma mulher que transaciona bilhões e bilhões de reais, com empresas nacionais e multinacionais que tem capital maior que o PIB de muitos países, iria utilizar um esquema furado e infantil desses para ficar com essa "merreca", ainda mais com os "meios disponíveis de lavagem" que numa mulher na sua situação teria?

Que isso, meu caro imbecil, nem você acredita nessa merda que fala, vá se fuder e chega,penso que já foi desmascarado o suficiente!

Manda o número de sua consta aí que eu mando uma parte desse dindin para você, ó babaca.

Anônimo disse...

Converse com algum contador conhecido que ele vai te confirmar que o que foi falado tem fundamneto.


Essa prática é feita reiteradamente e é muitíssimo comum.

Grande parte dos comerciantes, que possuem caixa dois, utiliza a prática relatada.

Na verdade, ele contam que a Receita federal nunca vai invetigar a fundo, mesmo porque, muitos gastos não tem como ser comprovados e podem ser simplesmente alegados.

Ah! O Presidente do Banco do Brasil também declarou ter adquirido um imóvel com dinheiro que tinha em espécie.

douglas da mata disse...

Caro imbecil,

Não preciso de conversar com contador, de crime eu entendo e de lavagem, idem;

Sua idéia mirabolante não se sustenta por dois ponto que você não contra-argumenta:

A mulher mais poderosa de uma das maiores economias do planeta "lavaria" 100 mil merrecas em casa?

Com que objetivo? Para fazer caixa dois para pagar o salão de cabelereiro, ou comprar um apartamento de dois quartos em Porto Alegre?

Outra: Todas as transações de ganho(a origem) são identificáveis, pois ela as declara, e se foram colocadas em um banco e depois retiradas para justificar a posse em casa, também deixam rastros, logo, se tirou de uma vez ou aos poucos, as transações não somem e não resistiriam a quebra de sigilo.

Logo, se ela tivesse algum dinheiro de origem ilícita, mandam os manuais de combate a lavagem(esqueça os contabilistas)que ela teria qu utilizar dois processos, totalmente distintos da "delaração":

Ela afastaria o dinheiro (geralmente com remessa virtual e ilegal ao exterior,para algum paraíso fiscal) e depois repatriaria o dinheiro como investimento externo de alguma empresa fantasma off-shore em alguma empresa ou investimento, que depois poderia "contratar" algum serviço ou "comprar" algum bem como forma de "lavar" finalmente o dinheiro. Todas essas transações são fictícias, embora posam ser comprovadas.


Agora meu caro, se já aprendeu algo, por favor, encerremos essa discussão, a não ser que você consiga responder por que alguém com tantos meios disponíveis e tanto dinheiro a disposição, se importaria em surrupiar cem mil reais.

Caso contrário, como já disse, vá pastar!

douglas da mata disse...

PS: que cara chato!

douglas da mata disse...

PS2:

Ah, sim, para náo em acusarem de "concordar" com o crime:

1. Se tem a dinâmica dos fatos e eventos criminosos, com provas ou indícios suficientes de autoria contra a candidata, não se apoquente:

Reúna-as, e cumpra seu papel de cidadão, vá ao Ministério Público ou a polícia ou a receita e denuncie.

Um abraço.