quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Cinismo papal!

É de cair o queixo a declaração de sua santidade(?), na página eletrônica de El País:


"A Igreja não tem sido vigilante com os casos de abuso".

Bom, dessa declaração é um acinte, mas podemos dela extrair alguns raciocínios:

Se a Igreja é conhecida por sua total obediência hierárquica, estabelecida em uma unidade dogmática que não admite dissenso, onde a autoridade papal incide sobre todas as esferas, e assim por diante, não seria incorreto dizer que se houve leniência com a apuração dos fatos, é sua santidade responsável direta pelos abusos que viscejaram no ambiente da omissão.

Logo, as cortes internacionais deveriam expedir um mandado internacional de prisão contra a autoridade máxima que admitiu, em público e voluntariamente, sua conduta omissiva e cúmplice, ou pelo menos deveriam levá-lo as barras dos tribunais internacionais.

Ou não?

Nenhum comentário: