terça-feira, 24 de agosto de 2010

Uma vida de menos!

Se como nos ensinou Sir Winston Churchill, na política se morre várias vezes, debitem ma vida de menos a vereadora do PT em Campos dos Goytacazes!

Pelo seu texto, fica claro que a política, ou ao menos, o exercício de um mandato outorgado pelos eleitores não lhe cabe de forma alguma!

Esse não é um desabafo, é apenas uma triste constatação de quem sempre criticou sua postura, menos por acidez, e mais por desejo de que fosse contrariado e pudesse dizer: Eu me enganei!

Infelizmente não! A despeito de que minha forma de demonstrar descontentamento nem sempre tenha sido a mais adequada, como inclusive sabem os leitores, que presenciaram pedidos públicos de desculpa a vereadora e seu marido por parte desse blogueiro, está provado pelos útlimos fatos que se a forma estava errada, pelo menos o conteúdo do incômodo que sentia era razoável!

Vejam bem, não questiono os acordos que possam ter levado a vereadora a aderir a ao prefeito-interino em sua luta pela presidência da Câmara, que o reconduzirá a interinidade! Não somos ingênuos!

O problema principal é o contexto no qual se deu a decisão, que desrespeita seus companheiros de partido, e inclusive a posição do seu marido, presidente da legenda, na medida que nenhuma instância do partido, ainda que informalmante, foi consultada.

E nem poderia, pois soube hoje que em seis meses de presidência do professor Eduardo, apenas uma reunião de Executiva aconteceu, em afronta clara ao regimento interno!

Logo, creio que a anomia e a inércia andam juntas para permitir que cada decisão pessoal e interesses particulares possam ser institucionalizados, ou seja, se não há debate, o Partido virou palco da monocracia familiar!

Pior do que tudo isso é o argumento(?)horroroso para justificar o ato. Primor de dubiedade, verbo envergonhado e claudicante, peça rara de contradição, pois leiam o que saiu de sua própria lavra:

"Os vereadores da bancada de oposição, decidiram apoiar a chapa formada por Nelson Nahim para a presidência e Rogério Matoso para vice-presidência na eleição para a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes prevista para acontecer amanhã.A vereadora Odisséia Carvalho afirma que apesar do prefeito em exercício governar com uma postura mais polida e fazer política sem os arroubos de ódio e ataques aos oposicionista, este pertence ao mesmo grupo político da ex-prefeita Rosângela Matheus.
A opção da bancada oposicionista vai manter a postura de independência em relação ao prefeito, que tem prevalecido desde a posse de Nahim como chefe do Executivo Municipal.(....)"


Reafirma o caráter garotista do prefeito interino e clama independência ao aderir a ele!

Resta perguntar.

Não seria mais honesto dizer, fizemos acordo sim, e danem-se? Ou em linguagem mais polida: Não seria menos hipocrisia dizer que política é a arte do possível?
Nesse ponto, a inflexão da vereadora nos permite dizer que sua justificativa, na verdade, enfraquece sua posição, e em suma, desacredita qualquer merecimento da política, dada a maneira como se declara. Por que não dizer que fez um acordo, e quais foram as bases desse acordo? Há algo a esconder?

Se essa é a representação do PT em Campos, é melhor logo passar a ficha de filiação a todos os garotistas que desejarem entrar no partido. Pelo menos saberemos com quem estamos lidando, sem sustos!

Chega de amadorismo! Aluguemos a sigla, e vamos viver de "renda"!

Esse sem dúvida, é um mandato morto, e não é à toa que se sustente com carpideiras!

2 comentários:

Branca disse...

"Roubei" e coloquei no Blog...impecável, meu caro Douglas...bjins

Rogerio Schumman disse...

Não entendo essa surpresa em relação a essa Odisseia e os seus! Este mesmo grupo se aliou a Mocaiber, apoiou Arnaldo, inclusive compondo chapa como vice. É obvio que fazem politica rasteira, sempre flertando com os garotistas que se revezam no poder... Odsséia nunca foi alternativa pra nada, é mais do mesmo. Somente vcs do PT insistem em não perceber isso. Enfim...