quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Bom, e o Estatuto?

Não há dúvidas que regimentos  e estatutos partidários têm a exata importância que as instâncias e as forças políticas dão a ele. Explico: Não se trata de corroborar com transgressões normativas no exercício da vida orgânica do Partido, nesse caso, o PT!

Mas houve um tempo que a organização partidária nessa cidade era levada a sério, e de certa forma, havia uma certa convergência entre a estrutura normativa e as diretrizes políticas. E, portanto, a normatização da luta política não tivesse em evidência. Isso era assumido po todos, sem necessidade de cobrar o cumprimento e essas normas.
Talvez o elo perdido esteja aí.
Se descumpre o que assume para si como fundamental(no sentido de "fundação", "princípio") o filiado já deixa claro como levará o seu compromisso com a leganda da qual faz parte.

O que esperar de uma leganda quando essas infrações se dão a partir de quem deveria dar o exemplo, ou seja, seus órgãos de Direção e seus titulares?

A Comissão Executiva Municipal do Partido dos Trabalhadores não se reúne há cerca de seis meses(!!!!!), conforme me informou o Professor Fábio Siqueira, logo, está rasgada a norma diplomada no artigo 80:


Art. 80. A Comissão Executiva reunir-se-á, em caráter ordinário, no mínimo, a cada 15
(quinze) dias e extraordinariamente sempre que convocada por 2/3 de seus membros.


Nem citarei a questão das finanças!

Logo, o Diretório Municipal, se estivesse atento às normas partidárias, teria dissolvido a Comissão Executiva e eleito uma nova, a fim de que essa funcionasse, e permitisse o debate necessário para que as decisões partidárias tivessem um caráter plural e democrático(essência petista irrevogável), e não fôssemos surpreendidos com "argumentos" como o da vereadora que "resolveu" por si, e de forma precária e açodada participar de um acordo espúrio, sem que as instâncias partidárias legitimassem tal ato.

Representaremos junto ao Diretório e a Executiva Municipal para que encaminhe a providência, e caso não seja provido nossa postulação, recorreremos às instâncias superiores e, se preciso for, a Justiça!

Quem quer cumprir a Lei e diz exigir transparência, tem que dar o exemplo dentro de casa!

Saudações petistas!

2 comentários:

FÁBIO SIQUEIRA disse...

Caro amigo Douglas,

Permita-me precisar o que disse na oportunidade de conversa informal onde, de fato, manifestei a informação que motivou seu questionamento.
Observei na verdade que a Comissão executiva municipal HAVIA SE REUNIDO UMA VEZ NOS ULTIMOS SEIS MESES. Mas a citada reunião ocorreu no dia 8 de julho, logo, a menos de dois meses atrás. Posteriormente ao nosso fraterno encontro casual no Bar "Seu Evaldo" no último dia 23, a Executiva voltou a se reunir na última quarta-feira dia 25.
Agradeço desde já a oportunidade de esclarecer a observação que motivou este post.
Um abraço.

douglas da mata disse...

Companheiro e amigo Fábio,

Sua narrativa não invalida o conteúdo, ao contrário: só reforça!

A reunião de quarta demonstra a necessidade de validar a política do fato consumado!

Grave!

Mas entraremos com os questionamentos regimentais, como deve ser feito, pois diálogo político com os garopetistas não é possível mais!