sábado, 10 de julho de 2010

Momento histórico!

PCdo B, PPS, PMDB, PV, PT e PSDB
Na tarde desse sábado, os partidos políticos, PT, PMDB, PC do B, PPS, PV, integrantes do PSDB, reuniram-se para debater e discutir a atual situação política do município, e a possibilidade da convocação de novas eleições.


Fato inédito na história recente política dessa cidade, ficou acordado que os partidos convocarão a sociedade civil e os cidadãos para firmar compromissos que apontem uma nova forma de governar essa cidade, e por fim ao longo período de cassações e interrupções de mandatos, que tanto prejuízo trazem para nossas vidas.

Todos os presidentes dos partidos e militantes presentes foram unânimes em expressar sua preocupação na grave crise moral que atinge instituições e pessoas, e torna a cidade motivo de vergonha perante a nação.

Para além das convicções de cada partido, ficou acertado que a partir desse primeiro encontro, ficará criado um movimento permanente para transpor as dificuldades e apontar soluções para o bem estar da população, e garantia da estabilidade do processo político.

Não é mais possível, no entender desses partidos, que uma das cidades mais ricas do Brasil, com orçamento bilionário, ostente níveis vexatórios na Educação, com a pior nota do Estado entre os municípios, Saúde com falta de médicos, hospitais precários, falta de empregos e oportunidades, dentre outras mazelas.

No próximo sábado, dia 17, os partidos se reunirão novamente, onde as soluções para Campos dos Goytacazes serão formuladas e apresentadas para a sociedade campista.

14 comentários:

Roberto Torres disse...

Notícia empolgante, claro com todo cuidado quando se trata de Campos. Mas, se é fato que onde só tem lama, qualquer fio de esperanca já conta, porque nao apostar nisso. Veremos no que dá.

felixmanhaes disse...

Excelente. Essa é a forma ideal para se achar um bom projeto e um bom nome que possa materizalizar essa proposta nas urnas, caso se confirme a necessidade de uma nova eleição. No entanto, como esse filme já rodou na nossa cidade, lá na frente um ingrediente pode azedar uma empreitada dessa magnitude. Quem vai botar o sino no gato. E quem vai abrir mão em nome de alguém? Afinal, o projeto tem que ser bom, o nome melhor ainda, desde que seja o de cada um. Vou ficar na torcida e tomara que dessa feita seja diferente. Se precisarem dessa singela ajuda, estou à disposição. A vantagem é que eu não sou candidato a nada.

Cerimonial DKabraL disse...

Caro Douglas
O texto produzido pelo grupo e digitado pelo Beethoven contem um erro gramatical que corrigi quando postei. Trata-se do "Todos"... "foram unânimes".
Abraço
Pedro Cabral

douglas da mata disse...

Caro Félix,

Trata-se de debater, antes de propostas, a necessidade imperativa de que os partidos FAÇAM poílitica, e a discutam, para além do espectro da luta atual, que é lógico, também não pode ser esquecida.

Nessa empreitada, a possibilidade de um, ou vários candidatos pouco importa, e nesse caso, a quantidade de nome é secundária, e só demonstra o seguinte:

Que ótimo que a oposição tenha vários nomes, ou um só nome, comprometido com uma agenda pró-Campos, baseada em princípios há muito esquecidos.

Ou seja., quem tem problemas com nomes é a situação e o garotismo.

Nós temos excesso de bons nomes, e isso não é problema, desde que TODOS se comprometam com essa agenda!

Gustavo disse...

Douglas, a iniciativa é louvável. Porém, atitudes desse tipo costumam ser bem sucedidas até o momento em que aparecem as possibilidades reais de exercer o poder. A partir daí, é que cada um parte para o seu lado, conforme as conveniências individuais.
Por isso, uma sugestão: a primeira coisa a ser consensuada nesse tipo de acordos transversais deveria ser o compromisso de resguardar os royalties, para que fiquem a salvo de vocês mesmos, caso tenham sucesso.
Ou seja, se comprometer desde ja à criação de uma espécie de 'conselho gestor do royalties, entidade supra e multipartidaria, que decida como devem ser investidos esses recursos. Dessa forma estaria-se colocando um contrapeso à discricionalidade daquele que obtiver a caneta municipal. Porque sabemos bem que esse cara, seja quem for, ao chegar lá vai se transformar naquilo que sempre condenou.

Todo homem tem o seu preço, e os royalties cobrem qualquer oferta.

Anônimo disse...

Bela iniciativa, Campos precisa urgentemente desta opção de voto.

Anônimo disse...

Caro Douglas,
Achei ótimo o que você escreveu em resposta ao Félix, e acho que é isso que falta ao PT de Campos, discutir política.
O PT deveria se reunir mais para debater esta cidade e encontrar formas de chegar à população.
Abs,
Gabriel

Amaro disse...

Espero que essa iniciativa seja para valer. E que realmente esses dirigentes partidários deixem de pensar em seus interesses particulares ou de seus grupos e pensem na cidade em que nasceram e moram.
Não vamos repetir os mesmos erros do passado, (a 3ª via, por exemplo), em que todos propunham uma proposta em comum e a união dos partidos desde que o candidato a prefeito fosse ele ou o seu companheiro do partido.
Sugiro que esse debate seja levado à sociedade campista, e junto com ela se monte um programa comum a todos (partidos e sociedade) e o nome do possível candidato saia desse fórum. Esse candidato deve estar acima dos partidos e ser uma referencia de integridade e honestidade, além de ter o compromisso com a transparência e de compor o seu governo de acordo com a competência das pessoas e não através de cotas partidárias ou para agradar vereadores adesistas e muito menos a família e a sua patota de puxa-sacos.
Estamos aqui, esperando os próximos passos para ver se esse movimento é sério ou é mais um que surge para tentar ludibriar os incautos e decepcionar os campistas. Torço para que não seja.

douglas da mata disse...

Gustavo, eu não acredito em política que construa "salvaguradas de nós mesmos".

Essas soluções são embriões de autoritarismo, pois, de uma forma ou de outra, há sempre alguém que controla o controlador.

Por isso, acredito em valores, princípios, requisitos, formalização do debate e enfim, sua publicização.

O melhor antídoto para o aluguel ou venda de pessoas pe a luz do dia, a arena.

E saiba: todo mundo tem um preço, de acordo com a situação, e o desafio é criar(com a política)condições para que esses negócios não vinguem!

O nome disso é institucionaliação!

Eu não tenho medo de mim mesmo, e você tem medo de que?

Construir relações políticas sólidas e transformar interesse pessoal em público, ainda que resguardadas as individualidades, pois afinal, política é feita por gente e para gente, ou não?

Nossa missão é encontrar o tom certo entre os legítimos anseios de cada grupo ou pessoa e o interesse de todos.

É fácil? Claro que não!

Vamos consegui? Não sei!

Mas não posso deixar de acreditar, pois se chegar as conclusões que você chegou, daria um tiro no ouvido!

Um abraço!

Anônimo disse...

Reunião histórica! Se ali tivessem alguns votos, seria melhor ainda!

douglas da mata disse...

Boa provocação do comentarista,

Realmente, ter voto é muito importante, mas eu pergunto:a que preço?

Esse tem sido um dos problemas centrais que levaram a nossa cidade a esse caos: a conspurcação da Democracia, a desvaloração do voto!

Assim, o sentido da frase "ter voto", soa quase como uma ofensa!

Olhemos o que fizeram os que tiveram tanto voto. Seis prefeitos, todos com muito votos!

álvaro lins, mais de 200 mil votos!

Olhemos nossa representação parlamentar: arnaldo, pudim, dentre outros, milhares de votos, e daí?

Nada!

Talvez seja a hora de perguntarmos: voto, a qualquer custo?

Creio que não.

Então não reduzamos a política a uma questão quantitativa. Prefiro a "qualidade da política".

Bom, mas isso é minha rala opinião. Tem gente que prefere se iludir, e achar que 10 ou 20 mil votos comprados signifiquem peso político.

Um abraço.

Anônimo disse...

Essa turma não tem voto!

Anônimo disse...

Sem votos não se ganha eleição.

douglas da mata disse...

Bom, isso é óbvio,

Mas voto se conquista.

O que não dá para conquistar é moral e legitimidade, pois vejam, caríssimos commentaristas:

De que adianta ganhar eleiçõs e não cumprir mandatos?

Podemos correr atrás do voto, mas o que nossas autoridades perderam(a vergonha na cara)isso não se acha, nem se compra!

Um abraço, e voltem sempre!