quarta-feira, 7 de julho de 2010

"diproma" de imconpetenssia!

Números e estatísticas não servem para punição e julgamento sumário de modelos, ainda mais de enxergarmos a complexidade de temas com Educação, Saúde ou Segurança Pública.

Números e estatísticas servem como avaliações das entradas e saídas(inputs e outputs)de processos, para estabelecer formas de controle, acompanhamento e correção de rumos.

Assim, o horroroso índice do IDEB angariado pelas nossas escolas municipais, que nos coloca nos últimos lugares em nosso Estado, a despeito de todo o Orçamento bilionário destinado a pasta da Educação nessa cidade, não pode ser debitado apenas na conta do atual governo. Processos educacionais são maturados em 10 ou 20 anos, e os resultados sazonais(anuais e bi-anuais) não servem para condenar ou aprovar políticas públicas educaionais.

Mas a constatação de que o atual ex-governo da Rosângela de Barros não pode ser crucificado por números que, com certezam refletem decisões anteriores, não os absolve de NADA!

Sim, porque a instabilidade e fracasso de nossa Educação Pública é uma herança no garotismo, que implementou toda sua precariedade e improviso ao longo dos últimos 20 anos, e nos "coroou" com alunos que não competiriam com o Homem de Nenderthal.

Tanto faz se olharmos para as gestões que se sucederam, o que assistimos foi descaso e desperdício, adornado em seminários, pirotecnia, e projetos milagrosos "expoentes".

Assim, não seria leviano dizer que a ex-prefeita só "colheu" o que "plantou" em 1989, como em tudo aliás.

Nenhum comentário: