quarta-feira, 23 de junho de 2010

A Espanha rumo as trevas!

O senado espanhol, com a união das forças políticas sediadas na Catalunha, e o PP(partido Popular, direitista) aprovou um a lei que proíbe o uso da burka(a vestimenta que mulheres muçulmanas usam para cobrir todo o corpo)em locais públicos e eventos, a não ser que esses eventos e locais sejam destianados a manifestações religiosas específicas.

Não se trata de promover a laicidade estatal, desejável e imperativa, para separar símbolos religiosos dos equipamentos da administração pública, como escolas, hospitais, repartições, etc.

O que a lei espanhola pretende é se imiscuir no direito das mulheres muçulmanas expressarem sua fé individual.

Perguntamos: Será editada lei similar para freiras e padres?

Bom, cada povo tem o direito de escolher como lidar com suas questões sócio-econômicas, políticas, religiosas e culturais.

Mas não deixa de ser mais um passo da Espanha rumo as cavernas.

Eu visitaria o Império Persa(Irã) a turismo, mas nunca iria a Espanha ver as toradas de Madri.

E antes que me ataquem por defender um pais teocrático, a informação factual: 50 mil judeus vivem em Teerã, com liberdade religiosa e direito a voto e associação e representação política, desde que não ataquem com palavras ou símbolos a fé islâmica.

5 comentários:

morganaprofana disse...

Taradinhas e taradinhos,

tem blog novo na rede:

bolsa da morgana, o endereço é.

www.morganaprofana.blogspot.com

Venham, se divirtam.

Brand Arenari disse...

Caro Douglas,
indepentende da seletividade da moralidade de nossos defensores do ocidente, a qual vc demonstrou muito bem, vale lembrar que, isso terá um efeito muito ruim para estas mulheres.
Se é terrível viver debaixo daquelas burkas, mais terrível ainda será não poder nem sair de casa. É isso que vai acontecer com elas, serao proibidas de sair de casa pelos seus maridos por não terem mais a permissão de andar de burka. As vezes só boa intecao não adianta, embora eu duvide da boa intenção desta gente, o que se hoje na Europa é uma escalada de preconceito e demonizacao da cultura islâmica.
Um abraço

douglas da mata disse...

E a Espanha, paradoxalmente, passagem e porta de entrada do mundo islâmico, ponto de apoio para as cruzadas, parece repetir sua opção pelo atraso.

Lembre-nos que, recentemente, escorraçaram o Juiz Baltasar Garzon, pela sua luta contra os crimes de lesa-humanidade.

Tempos estranhos esses, não?

Afinal, todos os tempos parecem estranhos!

Uenfezado disse...

Essa Lei, se não me engano, foi idealizada na França (não sei se já está valendo).
Parece uma vingança do ocidente contra os muçulmanos pelos ataques terroristas.
É uma medida proibitiva aqui, uma invasão ali, ...esses (para os países desenvolvidos)meios parecem ser a melhor forma de integração com os adoradores de Alá!

Roberto Torres disse...

Acho que comecou na franca sim. Na suica proibiram construcao de mesquitas. Na Alemanha o preconceito é mais tímido, mais reprimido pela culpa nacional construída no pós-guerra, mas isso também se "desconstrói".

Sou muito pessimista. Acho a coisa só tende a piorar. Nem os partidos tradicionais de esquerda como o SPD alemao tocam na questao. Ficam eternamente falando do antissemitismo como se essa fosse a única possibilidade de discriminacao étnico-religiosa.

Acho importante a Alemanha nessa história porque, de algum modo, este Estado-nacao serve como um freio às "tentacoes racistas", em vista de seu comprometimento histórico em condenar o próprio passado. Quando este freio nao mais existir, nao será na Itália de Berlusconi que haverá algum contra-ponto.