quarta-feira, 31 de março de 2010

Sopa no mel!

"Tá aí o você queria", como diz o bordão esportivo do Sílvio Luiz.

Serrá é o candidato do PSDB a presidência. Vai ser mais fácil que empurrar bêbado da ladeira!

A planície lamacenta exporta seu melhor "produto"!

Conexão Campos-Rios das Ostras.

Foi preso na data de hoje, por agentes da 128 º Delegacia Policial em Rio das Ostras JACILDO CERQUEIRA CABRAL.   

A prisão aconteceu na rua Azaléia nº 30, bairro Ancora. Contra JACILDO pendia mandado de prisão da comarca de Campos dos Goytacazes, pelo crime de roubo qualificado, com emprego de arma de fogo, concurso de pessoas e com restrição da vítima pelo agente.

Comandados pelo Delegado Titular, Luis Maurício Armond Campos, a prisão se deu após investigações iniciadas há dois meses.
Essas apurações apontam que diversos integrantes de uma grande quadrilha de roubos de cargas, agem em todo Norte, Noroeste e Lagos Fluminense, com ações ousadas e com extrema violência contra os motoristas. 
Parte dos envolvidos na quadrilha,  foram presos em flagrante da 134º Delegacia Policial, em 2008, foram eles SERGIO ROBERTO BALBINO DE SOUZA, RONDINELLI BALBINO DE SOUZA e RONY BALBINO DE SOUZA, todos oriundos do município de São Francisco do Itabapoana, outra cidade com fortes conexões com esse tipo de crime, também pela sua enorme "fronteira" com o Espírito Santo, outros Estado com forte atividade criminosa dessa modalidade.
 O registro do cumprimento de mandado de prisão foi lavrado sob número 128-01371/2010, e o preso já se encontra a disposição da Justiça.

Experiência que dá resultado.
As equipes chefiadas por Armond se especializaram em combater, dentre outros crimes, o roubo de carga. Em 2004/2005 seus agentes deflagaram a maior operação realizada por delegacia do interior do Estado, que ficou conhecida como Operação Tentáculo, que prendeu 25 pessoas, dentre as quais, 23 foram condenadas a penas que variaram de 4 a 23 anos.

Sindicato é isso aí!

Um extra-terrestre que andar pelas ruas de Campos dos Goytacazes, e passear pelos meios de comunicação, em se tratando da greve dos rodoviários, teria a impressão "falsa" de que um grande consenso de vontades uniu patrões, empregados e governo(poder concedente). Explico:
Nenhum piquete, nenhum incidente com fura-greves, nenhuma coerção de patrões, nem do governo pela saída dos ônibus, nem uma fumacinha de gás lacrimogênio ou de pimenta. Nenhum editorial da mídia-mercenária exortando o radicalismo dos trabalhadores!
Enfim, um modelo tão comportado de greve, com adesão tão unânime, que os maldosos poderiam chamar de lock-out.
Outros, mais maldosos poderiam dizer que logo, logo, as tarifas serão majoradas, para benefício de todos, e até, quem sabe, dos trabalhadores!
Uma estranha comunhão de desígnios: trabalhadores levam uma mixaria de aumento, patrões levam tarifas maiores e lucros fantásticos, e o governo...?
Bem, o que o governo "ganharia" com isso?
Mistério!
Mas nós já sabemos quem vai perder: o contribuinte, SEMPRE!

Mas é lógico que isso tudo é maledicência dessa gentinha maldosa.

Gincana: Lamaçal de cultura!

Nesse próximo mês, estará no ar uma gincana cultural com o seguinte formato:

Cada dia, publicaremos um número de perguntas, que deverão ser respondidas por e-mail. Cada pergunta terá a pontuação própria, descrita ao lado de cada uma delas.

No final do mês, apuraremos o resultado e informaremos o campeão, que ganhará um vale compras de 50 reais em uma livraria da cidade.

Fiquem atentos, e não percam!

Branca, acende a luz.

Ao contrário do blog que pilota, onde a Florence, apaga a luz, a Branca acende nosso blog com mais um banner que estampamos aí em cima!
Valeu, Branca!

A vaca vai para o brejo!

O blog Sociedade Blog divulgou a Cavalgada pelos royalties, em Rio das Ostras. Nós perguntamos lá, e repetimos aqui:
Será que lá(em RO)como cá, na planície lamacenta, os governantes virão montados nos eleitores?

Intervenção estatal em domínio econômico privado!

Um palavrão, quase xingamento, e para ser honesto, meus parcos conhecimentos jurídicos me fazem temer que o termo não seja esse.

Mas a idéia é simples! É a ação ou a omissão do Estado em relação aos bens e direitos dos cidadãos. Quer dizer, decisão dos governantes que podem alterar, modificar ou extingüir direitos e ou alterar o patrimônio.

Essa possibilidade é vedada a administração pública, a não ser que haja uma relevante causa que faça o Estado interferir na esfera  econômica privada, no equilíbrio de contratos, e na simetria de condições entre concorrentes, por exemplo.

Assim a desapropriação é permitida apenas para o interesse social inadiável, dentro de um rito judicial próprio.

Por outro lado, deve-se evitar que obras públicas favoreçam uns(valorização imobiliária, fluxo de clientes)em prejuízo de outros.

Temos também a omissão do Estado, caso clássico a segurança pública, onde a ausência do Estado modifica o valor de imóveis.

Em suma, como dissemos, não se pode usar dinheiro público para favorecer esse ou aquele adminstrado(pessoa fisica ou jurídica)em detrimento de outros, e sem que esses possam ter a mesma oportunidade de gozar dos efeitos dessa ingerência.

Hoje, agora a pouco, pelo centro da planície lamacenta, observei mais um caso de dinheiro público a serviço de interesses privados ilegítimos.

É o apoio da municipalidade a 13ª FEPE, expresso nos banners de propaganda do evento, dispotos nos postes, aliás, em desconformidade com o que reza a postura pública.

Ora, a FEPE é um evento privado, que se destina a oferecer aos seus integrantes, uma vantagem competitiva em relação aos que não participam do evento, quer seja pela concentração da demanda/oferta, quer seja por outras estratégias de abordagem(preços, por exemplo).
Fornecer subsídios, ou logística para um evento desse tipo, é interferir na livre concorrência com dinheiro público.
Ainda que se argumente que todos os lojistas podem participar(o que é pouco provável), o dinheiro público não pode "premiar" àqueles que aderem ao evento.
Outro ponto é que nem todos os comerciantes detêm recursos para montar arcar com as despesas necessárias, logo, o dinheiro público estaria a estimular a concentração de renda na atividade comercial, o que não é desejável, nem legal.

São esses "pequenos vícios" que revelam a textura da lama dessa planicie.

Agora some isso tudo ao fato de que nessa cidade, fechamos Escolas para Jovens e Adultos.

A morte, os tributos e a lama!

Essa semana, a Delegacia Fazendária, Unidade de Polícia Judiciária estadual especializada em crimes contra a fazenda pública e outras fraudes, mobilizou um grande contingente para deflagar um operação que coibe o chamado golpe do IPVA.
Desnecessário explicar o modus operandi, pois todo leitor(a)já deve ter visto ao menos um carro licenciado em cidade capixaba, mas que seus proprietários tem única residência fixa em nossa cidade.

De plano, para abordar tema tão controverso, é bom que se diga:
1. Impostos são espécies de tributos que não se destinam a um fim específico, logo, o argumento que o IPVA não repercute em vias melhores para os condutores de veículos, o que ensejaria uma "desobediência cívico-tributária" não se sustenta. Impostos são recolhidos ao caixa único das administrações e têm destinação difusa. Quem quiser que seja diferente, proponha e vote em deputados/senadores que mudem a Constituição.
2.O argumento que alíquotas maiores que estados vizinhos justificam tal fraude está na mesma raiz das escusas fornecidas por ladrões e traficantes, por exemplo. O tal "estado de necessidade": "roubo/tráfico por que não tenho outra maneira de suprir minhas necessidades", etc e tal.
3.Na mesma esteira, sonegadores dizem que seu crime é menor, pois não é violento e o efeito se diluiu em outras práticas de corrupção patrocinadas por maus servidores e particulares junto ao Erário. Errado. O mau uso do dinheiro público se confunde com a sonegação, e provoca efeitos tão dramáticos, quanto violentos. Imagine uma mulher dando a luz em um banheiro de hospital público, tendo uma privada imunda como aparador de seu recém-nascido. Esse é o resultado que sonegação/corrupção provocam. Sonegar, portanto, não é desculpa pelo mau uso do dinheiro. Votar melhor e fiscalizar a gestão,é a ÚNICA solução legítima e legal!

Dito isso, é preciso dizer que não é só o contribuinte-motorista campista que é adepto dessas práticas, e elas tampouco se restringem às pessoas físicas.
Em Macaé, por exemplo, há um processo de esvaziamento do caixa municipal, onde empresas enormes, ligadas a exploração petrolífera, embora desenvolvam suas atividades na cidade, montam pequenos escritórios em cidades onde o ISS é mais barato, ou nulo, onde nessas "matrizes" declaram e ou recolhem seus tributos, em prejuízo claro das cidades(Macaé)onde estão as "filiais".

No caso do IPVA, estão explícitos toda a hipocrisia de nossa classe média e elites, que desfrutam da nossa cidade e são beneficiados por melhores ferramentas urbanísticas, mas transferem esses tributos(IPVA)para as cidades capixabas.
Outro absurdo é que um passeio pelas repartições públicas estaduais e municipais(os entes que deveriam recolher tais tributos)poderá nos revelar que funcionários públicos que dependem desse dinheiro(tributos), aderem a essa conduta.
Ou seja: favorecem os servidores do ES, enquanto amargam salários de fome.

Para onde quer que se olhe, é na hora da morte e de pagar impostos que sabemos a dignidade das pessoas. Mas na maioria dos casos, é só LAMA!

Jornaleiro, que jornal é esse?

O Celso Vaz deu tratos a "bola", fintou o back, com um meneio de corpo enganou o goalkeeper, avançou até a zona do agrião e me rolou a pelota, limpa, já embaixo da meta. Eu que não resisto, vou desferir meu shoot, e correr para o abraço.

Vejam aqui a imagem que vale mil palavras, nenhuma vírgula, mas várias exclamações:

O maior jornal da região, que se pretende "bastião moral e político" da planície lamacenta, mas que nos "porões dos classificados", ganha uma "pratinha" com a difícil-vida-fácil!
Pensando bem, não tem mesmo muito diferença do que fizeram com governos anteriores! A diferença é que o texto não era classificado, mas sempre "desclassificado".

Só que naquele caso, os "anúncios" eram mais caros, e o michê também!

O nosso dinheiro vai sambar.

O governo municipal atual não é muito bom em elencar prioridades, por um simples motivo: Eles não têm o menor significado dessa palavra, agregada aos temas de administração pública.
No blog do Cléber Tinoco, há um post interessante sobre a contratação de uma obra de quase 70 milhões.

Primeiro é bom que se diga: Nenhuma oposição a valorização das manifestações de cultura!
A questão, como dissemos é a prioridade:

Se escolas são fechadas, planos de cargos são adiados, a saúde está um caos, bem como todos os serviços públicos, e a cidade dá a impressão que afunda dia-a-dia no atoleiro que a cerca, perguntamos:

É a hora certa de botar o bloco na rua, e gastar dinheiro como confete e serpentina, para delírio dos empreiteiros-pierrôts? Não é à toa que tems a impressão que o governo vive atravessando o samba!

Leia o texto do Cléber:

terça-feira, 30 de março de 2010


CEPOP consumirá R$ 69 milhões

Contra o descaso comum, a união.

O péssimo tratamento dedicado às Universidades não é uma exclusividade dos garotinho. Essa peculiariedade, é traço fundamental de projetos autoritários de poder, na medida que uma entidade de ensino superior pública, e autônoma é capaz de produzir conhecimento e, no "capitalismo da informação", essa produção ameaça oligópolios políticos e econômicos.

Assim, o governo Sérgio Cabral, que apenas é uma versão Leblon do autoritarismo garotista, e nesse caso expressa em sua política de ensino superior os mesmos vícios sob os quais padeceram a UERJ e a UENF.

Ensimesmadas, essas universidades e seus servidores colocaram a disputa por migalhas acima da luta pelo bem comum, pois, na casa que falta pão, todos gritam e ninguém tem razão, ou, farinha pouca meu pirão primeiro!
Essa "obtusidade" chegou a um limite, e a escassez e o descaso, enfim se abateu sobre as duas, de forma diferente, mas com efeitos parecidos.
Logo, agora os servidores perceberam que a luta é comum, pois o inimigo também o é. Leia o texto que nos foi enviado pelo Professor Dr Marcos Pedlowski, Presidente da ADUENF. São boas notícias, e aguardo ansioso o dia que todo o funcionalismo seja capaz do mesmo gesto:

 

UENF e UERJ unificam campanha salarial





Pela primeira vez, os trabalhadores das universidades do Estado atuarão juntos pelo reajuste.

Os docentes da Uerj discutiram na última quarta-feira, dia 25/03, a campanha salarial de 2010. O debate partiu do consenso de que há uma conjuntura adversa para negociações com o governo do Estado. Para reverter este quadro, a assembleia acatou a proposta da Asduerj de unificar as ações da campanha, englobando, além do Sintuperj, a Associação de Docentes da Uenf (Aduenf), como um mecanismo fundamental de luta.

A perspectiva é a construção, num futuro próximo, de um fórum que reúna as entidades representativas dos trabalhadores e estudantes das instituições de ensino superior do Estado.

O presidente da Aduenf, Marcos Pedlowski, e diretores do Sintuperj estiveram na assembleia para ratificar a proposta de união.

Uma assembleia conjunta de técnico-administrativos e docentes da Uerj foi agendada para o dia 7 de abril. Para a semana seguinte (14/04), há a indicação de um ato conjunto, desta vez com a participação dos técnicos e docentes da Uenf. Neste dia, as entidades das duas universidades farão um convite público ao governador, aos parlamentares e à sociedade fluminense para discutir os problemas do ensino superior, em evento a ser agendado na Uerj. O convite também será publicado em jornais de grande circulação, outdoors e busdoors).

A assembleia docente aprovou, ainda, o levantamento junto à SRH do número de professores que se exoneraram nos últimos três anos. Ao Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudo Socioeconômico) será solicitado um estudo sobre a receita orçamentária do Estado.

Durante a assembleia, o presidente da Aduenf, Marcos Pedlowski, afirmou que a situação de evasão de docentes é semelhante a que ocorre na Uerj. “O problema é que lá éramos cerca de 300 professores e já perdemos 50 para as instituições federais”, afirmou o dirigente sindical.

Transporte público atolado na lama!

Salvo alguns pequenos transtornos, o campista acordou hoje sem perceber que o sistema de transporte público municipal estava parado, devido a greve(?)dos rodoviários.

De fato, não dá para sentir falta de algo que nem existe. Sim, Campos dos Goytacazes têm alguns veículos denominados ônibus, caindo de podres, mas está muito longe de ter trasnporte público.
A começar pelo aspecto legal: Não há concessões de linhas em vigor na cidade, ou seja, tanto empresas de ônibus, quanto as vans e lotadas trabalham sob a mesma precriedade.

A inexistência de fiscalização, e de regulamentação do transporte alternativo, torna a exploração do seviço(transporte de passageiros)algo próximo da barbárie. Onde não há o império da Lei, vige a Lei do Cão.

Por outro lado, a tentativa de revitalizar o setor, com a concessão de gordos subsídios, não obedece a nenhum critério de planejamento, nem de exigência da melhoria do serviço prestado, agravado pelo fato de que a sociedade civil desconhece qualquer prestação de contas acerca dos milhões de reais transferidos aos empresários.

Longe desse blog questionar os movimentos sindicais, mas não é mera coincidência que empresários, através de seus meios de comunicação de aluguel, tenham insistido na tecla da majoração de tarifas como condição para melhoria da frota, e conseqüentemente, das condições de trabalho dos rodoviários, e logo em seguida, esses trabalhadores parem os serviços para impor uma pauta de reivindicações.

Como já dissemos, seria bom encerrar a hipocrisia e acabar com os empresários-atravessadores: Municipalizem o transporte e contratem, por concurso público, os profissionais necessários.

O argumento de que tal medida ataca a livre inicativa não se sustenta:
Livre iniciativa com dinheiro público, mas como assim?

Mais um acordo "caracu" para o contribuinte campista!

terça-feira, 30 de março de 2010

Foto psicografada!

Para as carpideiras, e todos que andavam saudosos do vereador-chuchu. Uma foto que nos foi enviada pelo cavalo-médium, ou médium-cavalo, que acabou de incorporar, mas já cantou para subir.

Ué, para onde foi?

Onde anda o mandato da vereadora Odisséia? Será que foi capturado em algum ritual de magia negra, onde as carpideiras e o psicografista se emulam, entoando cânticos a base de chá de santo-chuchu-daime?

Será que enfim, o "projeto" barbosista de dominação do mundo alienou corações e mentes de nossa parlamentar, que agora vaga como uma zumbi entre os calabouços das redações onde se tortura a verdade?

Mistérios do além!

Bom dia, planície da lama!

Não adianta, para onde quer que se olhe, você ainda verá estilhaços do telhado de vidro, rastros de cinqüentinhas e outras notas, uma imprensa fétida e mesquinha.
Sociedade paralisada, vereadores omissos, alguns até prestes a serem condenados por práticas sexuais hediondas.
Mas as colunas sociais do nosso jet-set estão lá, firmes para perfumar o lodo!

É preciso ter esperança!
É difícil ter esperança!

Mau nascido, o projeto que se apresentava como uma alternativa desinfectante, começa a dar sinais que irá reeditar velhos vícios, com velhas companhias.

Mas nada temam! Já que estamos no inferno, abracemos o capeta!

segunda-feira, 29 de março de 2010

Areia movediça.

Se quando estava vivo, o vereador-chuchu não disse a que veio, quem acredita que o fará depois de morto? Só as suas carpideiras e o psicografista!

Educação na lama.

A comunidade da Tira-Gosto, Matadouro, Goiabal e adjacências, se mobiliza, SOZINHA, sem qualquer repercussão na mídia(que anda ocupada com temas do "além"), de parlamentares(o que não é novidade), ou de qualquer outra entidade da sociedade, quer seja partidos ou sindicatos.

O mais grave é o silêncio/ausência da vereadora-professora-sindicalista!

Amanhã, e depois, os moradores visitarão a SMEC e o Ministério Público, tentando evitar, de forma desesperada, a "morte" da Educação de Jovens e Adultos na Escola Municipal Francisco de Assis.

Alguns dirão que a Justiça não pode se imiscuir, e barrar atos administrativos legais, sob pena de obscurecer a discricionaridade(escolha política) dos governantes, e assim, turbar o equilíbrio entre os poderes.

Poder ser.
Mas a discricionariedade não pode ofender uma garantia constitucional. É assegurado ao cidadão a Educação, conforme diploma o capítulo dos Direitos Sociais.

Retirar a escola de Jovens e Adultos de uma comunidade, e empurrá-los para mais longe, já seria uma cassação desse direito, dadas as peculiariedades de quem estuda na fase adulta, e com as deficiências que carregam pelos fracassos de outras escolas, que os empurraram até um analfabetismo funcional.

Considere todo essse contexto em uma comunidade da qual falamos, com o histórico de assédio do comércio ilegal de drogas, e de toda violência inerente a essa atividade.

Fechar a Escola é como se o Estado atribuísse a responsabilidade pelo não-aprendizado aos moradores, e não as circunstâncias nas quais estão inseridos. Primeiro, os excluímos, depois os culpamos pela própria situação que enfrentam.

Ou seja: Em uma cidade como a nossa, com tamanho orçamento, fechar uma escola não é escolha política, é um crime!

Da lama ao caos.

Não basta ser contra Garotinho. Tem que ser anti-garotista. O telhado de vidro não foi na gestão dos garotinho, mas é um traço do garotismo.

Portanto, como bem disse o Brand Arenari no texto que reproduzimos abaixo, não basta a Odisséia ser anti-garotinho. Tem que abandonar os marcos e marcas do garotismo, expresso nas alianças que mantém sob seu mandato, e nos grupos de mídia que prentendem aprisionar sua prática e seu discurso.

A hora de oPTar é agora. Depois, pode ser tarde demais.

Desse momento, e dessa escolha crucial, se escreverá a "certidão de nascimento e o código genético" desse movimento político que ela deseja liderar.

Areia movediça.

Essa é a seção que dedicamos aos textos dos blogs co-irmãos, que de tão bons, aprisionam suas "vítimas", que quanto mais se mexem, mais afundam:

Leia aí o texto do camarada Brand Arenari, sobre os rumos(ou a falta destes)do mandato da vereadora Odisséia. Pelo que entendemos a pregunta é: Odisséia do PT quer ser cabeça de mosquito ou rabo de elefante?

"Foi só a vereadora Odisséia dar um tímido passo a esquerda, apontando para uma possível construção de algo genuinamente alternativo, para que aqueles que não têm o menor interesse em uma mudança verdadeira em Campos contra-atacassem, tentando puxar a vereadora para seu curral fétido e imundo.
É ridícula a tentativa de inventar figuras na política de Campos, e mesmo inventar projetos de um vereador que nunca foi petista e que nunca apresentou um projeto amplo para a cidade, para com isso, tentar enquadrar a vereadora na pseudo-alternativa que o ‘Pig campista” quer empurrar para Campos. ( Para mais detalhes sobre o “Pig Campista” ver: http://outroscampos.blogspot.com/2010/02/os-pigs-e-oposicao-em-campos.html )

A análise disso é que o cerco se fecha para a vereadora Odisséia, cada vez mais fica claro que ela deverá escolher qual tipo de projeto político ela buscará construir. Que ela estará contra o Garotinho, parece líquido e certo, porém resta saber em que lado das fileiras contra garotinho ela vai estar. Irá ela compor a base do projeto que visa vencer garotinho mesmo sem ter a pretensão de romper com o que ele representa ou ela buscará construir uma base genuinamente alternativa para Campos?

A primeira opção representa a aliança com o “garotismo” anti-garotinho, ou seja, a continuidade da maneira de fazer política engendrada por garotinho, só que pelas mãos dos filhos que ele criou e que brigaram com o “pai”, bem ao modo da relação de saturno e seus filhos na mitologia grega, filhos estes que no caso são Arnaldo Viana e Cia. Ainda nesta primeira opção estão a “viúvas do império rural”. Essas viúvas são partes do que sobrou da velha elite local, a qual foi destronada por garotinho e quer derrotar seu inimigo. Quem melhor representa isso é o Pig local e sua sanha em manipular e moldar um projeto pseudo-alternativo para a cidade. O velho e marcante conservadorismo se traveste de moderninho, finge querer mudança para manter as coisas como estão.

A outra opção é um trabalho árduo e arriscado, porque ainda não existe como um projeto, deverá ser construído entre anseios e vontades dispersas. Para isso terá que reunir os frangalhos do PT, movimentos sociais e sindicatos que ainda restam, setores do PPS, do PCdoB e Psol e acima de tudo mapear e entender com quais setores da sociedade campista poderá contar.

Qual lado ela irá optar? Não é fácil de prever, porque mesmo tendo ela participado do governo de Mocaiber sua história como militante antiga das lutas sindicais e do PT a empurram para o outro lado. Acredito que a resposta pode ser encontrada no tamanho da ambição da vereadora. A escolha é: ter papel de destaque em um movimento que ainda precisa ser construído, mas poderá mudar a cara da cidade para sempre, ou ter um vida política com pouco brilho e talvez mais estável a curto prazo, porém correndo o risco de ter seu nome ligados a escândalos na política.

Essa é a pergunta que o povo de Campos espera que a vereadora responda. E então, para onde vc vai Odisséia?"

Vai para lama, Armando!

Muito confete se jogou no Armando Nogueira. Eu prefiro as crônicas esportivas do Nélson Rodrigues, ou do Mário Filho, ou quem sabe, o fanatismo rubro-negro literário do Zé Lins do Rego. Questão de gosto.

Mas ainda que Armando Nogueira tivesse sido ótimo pai, avô e jornalista(seja lá o que isso possa significar), não há perdão por ter chocado e parido a maior máquina de lavar cérebros do mundo: O Jornal Nacional.

Por isso, esse blog tasca, sem remorso: Vai para os quintos do inferno, e podia ter sofrido um pouquinho mais!

Uma folha atolada no encalhe!

Avenida Pelinca, Banca de jornais em frente ao Kantão do Líbano: 23 jornais que serão devolvidos, na linguagem dos jornalistas: encalhe. Banca da Pelinca, em frente ao Pelincão: 14 encalhes.

É claro que a crise mundial dos impressos jornalísticos também está expressa nesses números. Mas não podemos deixar de considerar a queda vertiginosa de credibilidade do "jornal espírita", na sua "cruzada" para se transformar em "partido político".

As folhas voltarão para o lugar onde nunca deveriam ter saído: O lixo!

É só o início do fim!

O Núcleo na Lama.

Eis que o bissexto professor Gustavo don Cabezza Lopes deu o ar da graça(uiii, quu meigo)!!!

Veja o texto que Sua Mercê, don Cabezza, escriturário do Blog do Núcleo apresenta aos seus concidadãos, nessa Vila de Campos dos Goytacazes, enlodada na planície das indignidades edílicas:

segunda-feira, 29 de março de 2010

Nossa longa tradição Edílica

Morto-vivo!

Projeto de Renato Barbosa vive no PT!

Ahhh, bom, por isso que eu desconfiava que o partido está morto mesmo!

Perguntar não ofende: Qual é esse projeto-defunto mesmo?

O que esse "projeto" pensa sobre Orçamento Público? O que esse projeto pensa sobre agricultura familiar, agrobusiness e ou política de fomento? O que eles pensam sobre Saúde Pública, quais as soluções para o estrangulamento das redes primárias e secundárias de atendimento? E a Educação? O que eles pensam sobre a falta de implementação do PCN de acordo com a LDB, eles sabem o que é isso? Qual o projeto para criação de alternativas de emprego e renda? Eles sabem o que é APL(arranjos produtivos locais), e como o poder público pode encadear esses arranjos? E as leis de incentivo a Cultura, eles sabem se funcionam ou não, ou sequer se existem? Plano Diretor, ocupação do solo e Urbanismo, quais são as idéias dessas carpideiras? Qual foi a formulação que o seu "finado líder" deixou?

Hummm, sei, vai ver que eles "pensam" assim: Somos burros, mas somos "limpinhos"! O pior que nem isso são!

Já passaram da lama ao lodo, que afinal, é o resultado da decomposição.

Conselho Municipal de Cultura "empo(ç)ado", hoje, na lama!

Não há nenhum indício de política pública cultural nessa cidade. Aliás, nesses útlimos 20 anos, salvo por raríssimos epsiódios, essa discussão nunca foi levada a sério.

Por uma série de motivos.

Desde a mais tenra incompetência em entender o papel do Estado e da Sociedade acerca desse tema, até a manipulação e dirigismos espúrios, voltados a personificação de projetos políticos "persanolóides".

Não há nada no horizonte que aponte mudanças nesse triste e enlameado quadro. Sequer a posse do Conselho Municipal de Cultura, após mais de treze meses do "governo da mudança".

De saldo: Os mesmos shows, um carnaval esquartejado e espalhado pelos meses do ano, a mesma cegueira e incapacidade crônica de incentivar diálogos entre agentes culturais, e fomentar a existência de um mercado de bens culturais com viés localizado.

Atolada na lama. Um povo que não produz nada para que se orgulhe. A cultura do atraso, da ganância e do oportunismo imediatista!

Perguntamos: Esse é ano de Bienal, março já se despede e o mês de abril já debuta no calendário. Será que eles vão inventar a "Bienal de três anos", como fizeram com um carnaval em maio?

Militares estadunidenses enlameados!

"Quando se alistam nas forças armadas, as mulheres estadunidenses recebem o aviso que lutarão em dois fronts. Um contra inimigos estrangeiros. Outro contra os seus companheiros homens de farda".
 Esse é parte de um artigo de David Rosen, publicado na página eletrônica da Al Jazeera Magazine.
 De acordo com o artigo, o relatório do Departamento de Defesa dos EEUU indica um crescimento de 11% nos casos de assédio sexual, e 16% de acréscimo nas zonas em conflito(Afeganistão e Iraque).
 Há 1.4 milhão de soldados nos EEUU, destes 200.000 são mulheres. Em 2009, 3230 casos de assédio/violência sexual foram relatados.
Assim como os casos de violência sexual em ambiente civil, o Pentágono admite que 80% dos casos de violência sexual também não são relatados.

Lama internacional.

Atentado no Metrô de Moscou.

37 mortos, e pelo menos outras 65 feridas, na explosão causada por um ataque terrorista suicida. De acordo com as autoridades russas, tratavam-se de duas mulheres, que explodiram os artefatos que trazia presos ao corpo, bem na hora do rush. Foram duas explosões com intervalo aproximado de 45 minutos, que aconteceram em duas estações que se interligam por linhas comuns. A primeira explosão às 07h56min(hora local)na estação de Liublianka, que vitimou fatalmente 22 pessoas, seguida por outra, às 08h40min, na estação de Park Kulturi, que por sua vez, matou outras 15. As autoridades russas informam que as mulheres obedeceram um padrão único, haja vista que as explosões aconteceram de dentro para fora dos trens, no momento em que esses chegavam as plataformas, aumentado assim o alcance dos estragos e vítimas. As suspeitas recaem sobre os separatistas islâmicos da região do Cáucaso Norte.

Foto: El País.

Informações do El País e The Independent.

Brincando com a lama.

Em nossa ronda virtual, agora cedo, deparamos com o carinho da Branca, do Blog Florence, Apaga a Luz.

domingo, 28 de março de 2010

Monstros de lama e vaidade!

Não é invenção desse blog. São as palavras das carpideiras: Com Odisséia candidata a prefeita ou vereadora, eles terão um candidato.

Ou seja: Pouco importa o Partido ou o mandato da vereadora que ocupam, tal e qual parasitas.

Sua "missão" está traçada, e pouco importa a democracia interna do PT!

Abre o olho Odisséia!

Sai da lama, vereadora!

Não é mais possível esconder. Se quer manter o nível de excelência política de seu mandato, com qualidade de discurso e debate, a vereadora vai ter que escolher:

Ou articula novas perspectivas que os movimentos sociais e outros setores do partido lhe oferecem, ou fica refém de jornalóides e das carpideiras que assombram seu mandato com fantasmas do telhado de vidro.

Sai da lama, Lindberg!

Vejam aí os blogs que publicaram a repercussão da vitória do prefeito de Nova Iguaçu, nas prévias que decidiram o candidato do PT ao Senado: Conversando(Félix Manhães), Blog do Dignidade e do Cláudio Andrade.

domingo, 28 de março de 2010

LINDBERG GANHA AS PREVIAS NO PT - É O CANDIDATO A SENADOR


domingo, 28 de março de 2010

Lindberg é o candidato do PT ao senado pelo RJ


domingo, 28 de março de 2010

LINDBERG FARIA É O CANDIDATO DO PT DO RIO AO SENADO


Perícia seletiva.

A televisão mostra incessantemente. O caso da menina defenestrada pelos pais, pela janela do apartamento da família.

Fora a vergonha desse espetáculo monstruoso de sado-masoquismo televisivo, algumas observações:

Não dá para deixar de enxergar como funciona a Polícia e seus órgãos auxiliares, como a perícia criminal.

Todos os entrevistados pelo espetáculo macabro do Fantástico, agora a noite, são unânimes: o trabalho da perícia e da polícia foi decisivo.

Uma pena que só funcione para alguns crimes. Em suma: alguns merecem mais "justiça" que outros!

Alguém imagina um aparato técnico daqueles em uma favela ou casa humilde de qualquer periferia do Brasil?

Ou se o morto for o "suspeito padrão"?

Memória na lama.

Essa seção é destinada a atirar na lama a memória de certos personagens.
Quando vivos, se esforçaram a passar uma imagem de corretos e acima de qualquer suspeita.

Não é bem assim.

Para o nosso blog, a morte não redime ninguém.

Vamos ao nosso vereador H2O, que passou a história como o mais omisso e calado do PT.

Conta a lenda que teria se indignado porque revelaram que levou sua esposa grávida para SJB, em pleno pânico da gripe h1n1, como forma de protegê-la. Nada demais, aliás, essa é a postura que deve se esperar de um pai zeloso.

O problema é que o discurso do vereador não combinava com sua prática. Explico:

Quando toda a população cobrava ação enérgica das autoridades sanitárias, o vereador, junto com outros dois, visitou escolas e votou a favor da mensagem da Câmara que atendia aos interesses do governo de manter as escolas abertas.

Mas como? Para os alunos dos filhos dos pobres, não havia risco, mas para os seus parentes sim?

Esse é o primeiro respingo de lama em sua biografia.

O outros é o PED (processo de eleição interna do PT)onde o então vereador mudou tantas vezes de lado, que nem o seu grupo mais sabia onde esle estava. O motivo: leilão dos votos que tinha no PED.

Primeiro, tentou se aproximar do grupo que apoiava a aliança com Ségio Cabral. Como não conseguiu as vantagens para lançar sua candidatura a deputado estadual, voltou-se contra o governador e passou a fazer uma renhida campanha do então pré-candidato Lindberg Farias.
Dizem as más línguas que um "lua preta" chamado Neiva lhe prometeu milhares de bons motivos.

É com base nesses "acordos" que os seus "herdeiros"(as carpideiras)mantêm a vereadora Odisséia como refém.

Essa é só uma pequena estorinha do homem acima de qualquer suspeita. E como seu espólio ainda prejudica o PT de Campos.

Nem vamos citar sua origem como "garoto de ouro" de Mocaiber, quando secretário de energia e petróleo, onde fez boa parte de seu esquema eleitoral, na base de troca de cursos de salvatagem por votos.

As carpideiras do PT, o psicografista e a vereadora!

O cenário político dessa planície lamacenta é pródigo em personagens exóticos. O PT hoje, tem um grupo de carpideiras.
Para quem não sabe, carpideiras são mulheres contratadas para chorar mortos, geralmente, aqueles que tem pouco prestígio.
Assim, a família escapa da vergonha da total inqüidade do morto.

No PT de Campos, as carpideiras vivem a "chorar loas" a um vereador extinto, que quando vivo, também parecia morto, tal a inanição política de seu mandato.

Sem um cabide para se pendurarem, as carpideiras agarraram o mandato da vereadora que sucedeu o extinto, e não largam a "alça do caixão" de jeito nenhum.

Enquanto as carpideiras davam as cartas no mandato da vereadora, o mandato padecia da mesma pasmaceira do mandato que herdou.

Bastou a vereadora acordar, e se afastar desse pessoal, que o mandato tomou outros ares, e largou os marcos, e as marcas do passado para trás.

Abandonou o fardo de ter sido vinculada ao Telhado de Vidro.

O PT de Campos ganhou uma vereadora, e a cidade ganhou uma oposição.

Agora as carpideiras, com espaço reduzido, choram, choram e choram, junto com o psicografista. Um tipo de dono de jornal que fala com e pelos mortos, já que os vivos não lhe dão a atenção que julga merecer.

Vai ser divertido assistir a esse espetáculo grotesco: As carpideiras e o psicografista. Está aí um bom nome de filme.

O gênero?

"Terrir", é claro!

Mídia marrom e lamacenta.

Engraçado ler a página eletrônica de um jornal local, que aborda os problemas e as perspectivas da nossa planície lamacenta.

Falam como se não tivessem nenhuma relação com alguns dos mais graves desses problemas.

É bom avivar nossa memória:

A mídia em Campos dos Goytacazes, de uma forma ou de outra, sempre esteve a serviço das elites, e por isso, sempre foi recompensada com gordas verbas de publicidade.

Assim, em um passado muito recente, o governo do Telhado de Vidro encontrava em algumas folhas, o apoio necessário para tentar justificar o injustificável.

Não é à toa que nas principais bancas da Pelinca e do Centro, locais onde, em tese, deveriam vender mais jornais, é possível chegar às 16 ou 17 horas e contar de 15 a 20 exemplares encalhados, inclusive nos fins de semana.

É o início do fim.

Nós publicaremos aqui, as fotos das manchetes que descrevem esse conluio sórdido, que eles fazem questão que esqueçamos. Em breve!

Da lama ao caos.

"Posso sair daqui para me organizar
Posso sair daqui para desorganizar
Posso sair daqui para me organizar
Posso sair daqui para desorganizar

Da lama ao caos, do caos a lama
Um homem roubado nunca se engana
Da lama ao caos, do caos a lama
Um homem roubado nunca se engana

O sol queimou, queimou a lama do rio
Eu ví um Chié andando devagar
E um aratu pra lá e pra cá
E um carangueijo andando pro sul
Saiu do mangue, virou gabiru

Oh Josué eu nunca ví tamanha desgraça
Quanto mais miséria tem, mais urubu ameaça
Peguei o balaio, fui na feira roubar tomate e cebola
Ia passando uma véia, pegou a minha cenoura
Aí minha véia, deixa a cenoura aquí
Com a barriga vazia não consigo dormir

E com o bucho mais cheio comecei a pensar
Que eu me organizando posso desorganizar
Que eu desorganizando posso me organizar
Que eu me organizando posso desorganizar

Da lama ao caos
Do caos à lama
Um homem roubado nunca se engana."


Do imortal Chico Science com sua Nação Zumbi.

Retratos da Planície Lamacenta.

Campos dos Goytacazes, tradição atrás das grades de um presente vergonhoso.


Nos escombros da memória abandonada, a beleza insiste.
Terreno onde foi a casa de José Cândido de Carvalho.

O lixo na margem. O lixo na paisagem.


As fotos são da minha amiga Walnize Carvalho. Como podem observar, seu olhar é tão poético quanto seu texto.

Mas tal e qual seus escritos, Walnize é doce, mas incisiva. Nos arrogamos a compor essas imagens com poucas palavras, que é claro, não estão na devida altura do que ela enxergou.

Retratos da Planície Lamacenta.

Rua 21 de Abril


Rua 21 de Abril

Rua 13 de Maio.

Rua Sete de Setembro


Rua Carlos de Lacerda


Rua da Jaca


Essa é uma das seções que teremos nesse blog.
Como o título já diz, são incursões imagéticas(nem sempre fotográficas)das coisas que temos por aqui.

Hoje é o dia do aniversário da cidade, e nada melhor que esses retratos para nos entendermos melhor.

Como nenhuma outra, somos a terra do "faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço".

Vejam vocês a mais nua e crua apropriação do espaço público pelo interesse privado, quer seja ele de pessoas físicas(como no caso da entrada do Condomínio na Rua da Jaca, o Diamond Tower), ou por pessoas jurídicas, como empresas de comunicação, e uma igreja no centro da cidade.

Ora, você cidadão que paga impostos, tem que pagar por vagas privadas em estacionamento, enquanto o poder público reserva pequenas "capitanias hereditárias", onde sustentamos o ônus dessas atividades, e dos privilégios da elite.

Não há nenhuma justificativa legal ou administrativa no Código Brasileiro de Trânsito(Lei 9503), ou em qualquer outra legislação para que esta distinção aconteça.

Um pequeno retrato dessa jovem senhora de 175 anos.

Esses "pequenos vícios", que sequer percebemos, se entrelaçam e se desdobram em vícios maiores, com repercussões que conhecemos bem.

Na planície lamacenta, direito atende pelo nome de privilégio ou favor.

Separação amigável!

Foto: Clara Carvalho

Poucos sabem, mas é para eles que escrevo, e por eles me importo. Esse blogueiro esteve até bem pouco tempo atrás vinculado ao Blog do Núcleo(blogdonucleo.blogspot.com).

Depois que discutimos a relação, decidimos com quem vão ficar os discos e os livros, reunimo-nos na casa da Walnize Carvalho, e comemoramos nosso "divórcio".
Tudo em petit-comiteé, tête-à-tête com muito savoir-faire, como manda a melhor regra da nossa etiqueta, que aliás, a julgar pela foto aí de cima, já deu para notar que vem de "berço".

O churrasco foi promovido pelo restaurateur Guilhermé de Carvalhô.

Atolados.

Essa é a sensação dos cidadãos de bem dessa cidade. Afundados até o pescoço na lama, resultado da decomposição orgânica das instituições, da política, dos partidos e da mídia.

O cheiro exala para além dos limites dessa terra plana.

Nosso objetivo é revirar todos os dias essa podridão, para que não esqueçamos que, apesar da tentativa de disfarçar essa terrível catinga, com perfumes franceses que emanam das peles alvas de nossas "dondocas" e "sinhôzinhos", essa é uma terra onde condenado como Chebabe é nome de rua, clone de vereador fode meninas de 12 anos, e filho de dono de jornal anda algemado em camburão.